terça-feira, 2 de julho de 2013

Prefiro os fracos!

Nós realmente não conhecemos o evangelho. Ou, pelo menos, não fomos tocados verdadeiramente por ele. E isso fica muito claro para mim quando vejo alguma “bomba explodindo” e como reagimos diante delas.
Essa semana uma “bomba” invadiu meu facebook. Por meio da rede social descobri que um grande amigo meu, pai de família, cristão e que, inclusive, me discipulou em uma fase da minha vida havia caído em pecado.  Sim, foi assustador ver fotos suas com outra mulher. Aquelas imagens, que foram parar de forma inescrupulosa na internet, comprovavam que ele havia traído a esposa – uma grande amiga minha por sinal.

Quando esse tipo de coisa acontece de imediato as pessoas cospem: “era um falso cristão!”. Ou se indagam: “como isso pôde acontecer?”, ou ficam apenas falando: “não acreditarei mais nele!”, “me decepcionou para sempre”. Independente do que passa na cabeça das pessoas, o fato é que elas não sabem lidar com esse tipo de coisa. Ficamos, normalmente, confusos e perdidos. E isso prova que nós, cristãos, ainda não conhecemos o evangelho de Jesus Cristo.
Confesso que no primeiro minuto que descobri o fato fiquei assustada, no segundo minuto muito triste, mas no terceiro pensei: “isso pode acontecer com qualquer um (até com o homem que está sentado ao meu lado: meu marido)”.

O evangelho fala que o homem é mau
O evangelho que está descrito na Bíblia nos diz que Deus enviou seu filho para salvar pecadores que iam para o inferno. As boas novas de Deus para nós foi a demonstração do seu grandioso amor e sua maravilhosa misericórdia que nos salvou. Mas nos salvou de que? Do inferno? Não somente. Ele também nos salvou de nós mesmo! O inferno não era o grande problema. Nós éramos o grande problema! A Bíblia diz que o homem é mau, um pecador miserável que só sabe pecar desde que nasceu. Mas apesar de nos chamarmos “evangélicos” nós ainda não acreditamos nesta verdade que o evangelho fala.

Temos pregado em nossas igrejas (e muitas vezes até muito mau) só a metade do evangelho. O começo das boas novas fala sobre um homem pecador, em trevas, que não pode se salvar e por isso necessita desesperadamente de um Deus soberano e gracioso.  Por não conhecermos essa parte do evangelho ficamos confusos quando cristãos caem em pecado ou até quando nós mesmo caímos em pecado. Ficamos “decepcionados”. Decepcionados com o que? O que, no cristianismo, nos autoriza a ficar decepcionados com homens? Nada. O evangelho nunca foi uma mensagem sobre o homem, sempre foi sobre Deus.

Um falso evangelho gera falsos cristãos
O problema é que temos pregado um evangelho que põe o foco sobre os homens, sobre a capacidade humana. E isso é uma farsa! O homem é um pecador. Todos nós, sem exceção, somos pecadores. É apenas a graça de Deus que nos transforma e nos mantêm. Logo, se todos somos pecadores porque nos assustamos ou julgamos quando um irmão cai em pecado? Porque nós ainda temos expectativas em homens! E porque amamos apontar o cisco no olho do irmão sem perceber a nossa trave!
Cristãos hoje gostam de se assustar com traição familiar e, de fato, isso é pecado. Mas sexo antes do casamento, falar mentiras pequenas ou grandes, falar mal do outro, fofoca e muitas outras que você faz, também são pecados. Devemos lembrar que quando Jesus se encontrou com a mulher pega em adultério, ele não disse que adultério não era pecado. Ele apenas foi contra a acusação dos fariseus. Pecador acusar pecador não vale!

A fraqueza do homem
Irmãos e amigos, o que eu quero dizer é que quando descobrimos que o evangelho é a boa nova para pecadores nós somos curados. Curados do vício de usar máscaras, de nos mostrarmos fortes. Somos libertos da necessidade de nos mostrarmos fortes enquanto somos fracos.

A base do evangelho é a fraqueza do homem. Enquanto o homem não se mostra fraco, Deus jamais pode demonstrar a sua força. Quando eu leio a Bíblia eu fico certa de que Deus ama homens fracos! Noé foi um homem fraco, Moisés foi um homem fraco, Davi foi um homem fraco e, principalmente, Jesus tornou-se um homem fraco. E esse foi o segredo da cruz: a fraqueza de Jesus liberou o poder de Deus. Então me responda: de onde vem esse evangelho que exalta a força do homem e o ensoberbece?

Por que cristãos caem em pecado?
Não é plano de Deus que cristãos traiam suas esposas ou caiam em pecado. De forma alguma.
Mas então por que essas coisas acontecem?
Primeiro: acontece porque nós nos esquecemos do evangelho. Todos os dias devemos ser lembrados do evangelho: eu sou mau, sou pecador, mas Deus me salvou e está me transformado dia após dia. O fato de o homem lembrar-se que é pecador o previne da soberba, de achar que pode vencer tentações sem Deus.

Segundo: estamos muito sozinhos. A Bíblia diz que não devemos abandonar o costume de nos reunir. Isso não quer dizer “freqüentar um templo” ou “um clube social que pode ter o nome de igreja”. Isso quer dizer ter comunhão, ser fortalecido pela força que Deus tem liberado entre os irmãos. É relacionamento real entre irmãos. Isso inclui: comunhão, confissão de pecado, aconselhamento, abrir a vida, alegrar-se junto, crescer junto.  A solidão espiritual nos enfraquece a ponto das tentações do mundo tornam-se mais atrativas para nós do que o próprio Deus.

E depois que aconteceu?
Em relação ao caso do meu amigo devo contar que ele realmente caiu em pecado, mas antes que tudo viesse a tona publicamente pela rede social, ele já havia confessado para a esposa e se arrependido. Em sua declaração ele se disse um homem fraco, apenas forte em Deus.

Tenho estudado a história da igreja e isso me lembrou uma época na história onde muitos homens de Deus caíram em pecado, alguns em relação a dinheiro, outros poder, e outros na área sexual. Mas o fato é que todos esses homens (de Deus, não do Diabo) caíram porque “a soberba precede a queda”.  Isso me faz concluir, mais uma vez, que Deus prefere os fracos. E mais, eu descobri que Deus não está decepcionado com o meu amigo. Meu amigo se arrependeu e tornou-se um homem fraco, um homem exposto diante de Deus e de todos. E por isso o Senhor poderá aplicar a ele a sua promessa de que “o Seu poder se aperfeiçoa na fraqueza”.


Para uma boa maioria esse meu amigo se tornará uma pessoa indigna para sempre, mas para mim ele é símbolo da vontade do Senhor nesses dias. Deus ama o casamento e odeia o divórcio. Deus odeia o pecado, mas ama aqueles que se arrependem. Ele foi alguém que não teve vergonha da sua fraqueza e por isso edifica, hoje, imensamente a minha a fé.

1 comentários:

COMUNIDADE EVANGÉLICA MINISTÉRIO SOMOS UM disse...

que Deus tenha misericordia de todos nós,realmente somos fracos

Postar um comentário